0

Onde o varejo deve investir em tempos de crise?


“Os varejistas vão tirar o Brasil da crise”. Esta frase, dita por Marcos Gouvêa de Souza, consultor que é conselheiro dos principais players do Varejo no Brasil, foi destaque na revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, edição de dezembro de 2015.

Em uma longa entrevista concedida à publicação à época, o fundador de uma das mais respeitadas consultorias de gestão e negócios do país, opinou sobre como este importante segmento seria a chave no momento de redução de consumo e recessão econômica que se anunciava — e que estamos vivendo hoje.

A repercussão das opiniões do especialista foi tamanha que ele concedeu mais algumas dezenas de entrevistas para impressos, rádio e TV. Na época, muitos empresários estavam céticos sobre o futuro que se anunciava.

E a boa notícia é que, ao que tudo indica, ele estava certo.

Neste ano, considerado o momento de epicentro da crise, o Varejo vem reafirmando sua força (em 2015, de acordo com o último levantamento do IBGE, representou 9,4% do PIB nacional).

De acordo com estimativas da Fecomercio SP, divulgadas em Abril, deverá haver um incremento de 2,4% nas vendas do segmento a partir da iniciativa do Governo Federal de liberar o saque das contas inativas do FGTS aos trabalhadores.

O cenário é de dificuldades, mas, apesar disso, o Varejo é, juntamente com o Agronegócio e a indústria de Tecnologia, um dos poucos segmentos a não sofrerem abalos tão dramáticos.

O varejo deve investir, apesar da crise

E a recomendação de especialistas como Gouvêa de Souza e entidades como o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV) e a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC)?

Seguir investindo, para não deixar que a crise cresça ainda mais!

Agora, nós sabemos, a cautela na escolha dos investimentos é fundamental diante de um cenário macroeconômico tão delicado. E é sobre isso que vamos refletir a seguir. Você vai ver como os investimentos em tecnologia são fundamentais neste momento, por diversas razões.

Acompanhe!

Varejistas que investem em recursos tecnológicos se destacam da concorrência

Em entrevista ao Diário do Comércio, em 2016, o consultor em Varejo da Accenture, Hugo Bethlem apontou que varejistas que investem em tecnologias para tornar suas governanças baseadas em dados, especialmente no que diz respeito a melhor atender aos consumidores, não sentiriam tanto os impactos da crise.

“No mundo inteiro as pessoas aceitam mais a recomendação de estranhos do que a da própria empresa”.

Disse o executivo ao defender que comércios que se utilizarem de análises de dados para entender melhor seus clientes-alvo e proporcionar experiências melhores no PDV e online se fortaleceriam diante da concorrência que ficaria mais acirrada com a recessão.

Some-se esse olhar mais caprichado para o consumidor à melhoria nos processos dos lojistas e é consenso entre os especialistas que quem dispõe de mais recursos tecnológicos (equipamentos, sistemas e serviços) tem mais chances de seguir crescendo, ou, ao menos, não perder mercado na mesma proporção que os demais.

Mas, atenção: a tecnologia, por si só, não faz milagres. Ela precisa ser implementada em processos bem definidos, servindo como facilitadora e automatizadora de atividades, além de dar aos gestores subsídios mais eficazes para tomar as decisões corretas em tempo hábil (informações atualizadas para geração de relatórios gerenciais, estimativas, análises de tendências de mercado etc.).

E um fator a favor dos empresários é que soluções de tecnologia estão cada vez mais acessíveis e rápidas de serem implementadas, sobretudo quando olhamos para a virtualização proporcionada pelos serviços de computação em nuvem (infraestrutura, sistemas, aplicativos etc.).

E os benefícios de se investir em tecnologia são visíveis já há bastante tempo nos setores de Manufatura, Bens e Serviços, Turismo, Agronegócio, entre outros: redução de custos de operação, ganho de inteligência de gestão, agilidade e confiança nos controles de estoque e logística, maior satisfação dos clientes etc. É hora do Varejo, tão resistente à crise, também despertar para esta realidade!

— Leia também: Como escolher um software para gestão de varejo.

O que você tem feito para que o seu negócio varejista não seja abalado pela crise? A tecnologia está sendo considerada na sua estratégia? Deixe seu comentário e vamos continuar esta conversa!

Compex Tecnologia

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *