0

O que é a metodologia Just in Time e como aplicá-la na indústria?

 

Economia, produtividade e qualidade dos produtos são os objetivos de toda indústria e a metodologia Just in Time ajuda a tornar isso possível.

Provavelmente você já ouviu falar do sistema Toyota de produção, esse modelo foi utilizado pela montadora para construir seus automóveis para o mundo.

O sistema é composto por 13 pilares que, se usados de forma ordenada, garantem o sucesso da empresa.

O sucesso dele foi tão grande que foi copiado por inúmeras indústrias pelo mundo afora.

O Just in Time pode ser considerado como o principal pilar desse sistema e sua premissa é: nada em excesso, portanto, sem desperdícios.

Ficou interessado em saber como aplicar essa metodologia e ajudar a otimizar os processos produtivos, garantindo uma saúde financeira na indústria? Continue lendo nosso post!

Como surgiu a metodologia Just in Time?

Sakichi Toyoda, fundador da Toyota, e o seu filho, Kiichiro, criaram teares mecânicos.

Em 1929, Kiichiro viajou para a Europa e para os Estados Unidos para licenciar esses equipamentos.

Ao chegar aos EUA ficou maravilhado com os carros que circulavam pelas avenidas e resolveu voltar ao seu país e fabricar automóveis.

Seis anos depois lança o A1, primeiro modelo fabricado pela Toyota.

Nesses seis anos ele estudou todo o processo americano de fabricação e começou a usar a produção Just in Time para os seus automóveis.

O que é a metodologia Just in Time?

O termo Just in Time (JIT) significa, em inglês, “no tempo certo”.

Para montar o seu modelo de automóvel, Kiichiro eliminou todo o desperdício, buscando produzir somente o necessário e quando necessário.

O Just in Time é isso. Administrar uma produção onde tudo deve ser fabricado, transportado e comprado no tempo certo, reduzindo custos e otimizando todo o processo produtivo.

Ele foi o primeiro pilar a ser usado no que mais tarde passou a ser os 13 fundamentos do sistema Toyota de produção.

Com esse método, foi possível trabalhar na montagem do automóvel apenas com peças necessárias e quando necessitavam delas.

Dessa forma, a empresa tinha a matéria-prima na quantidade certa, na hora exata para atender a demanda do momento. Sem excessos e sem desperdícios!

Esse processo gera maior eficiência e melhor gerenciamento financeiro porque somente é adquirido o material necessário e não há imobilizados.

É claro que para aplicá-la é necessário estudo e muita disciplina, caso contrário, sua indústria corre o risco de ficar ociosa por falta de matéria-prima.

Como aplicá-lo na indústria?

O Just in Time objetiva a otimização de todo o sistema de manufatura da indústria tornando-a uma fabricante de qualidade e competitiva, a partir de novas atitudes.

Para isso, primeiramente a indústria precisa, de fato, se preparar para a mudança e analisar todo o seu processo de produção, uma vez que todos esses processos passarão a ser efetuados a partir de pedidos concretos e não mais planejamentos.

É preciso produzir para atender a demanda e manter a excelência na qualidade dos produtos.

Para isso, é primordial que a comunicação entre os setores envolvidos seja eficiente.

A equipe também precisa estar preparada para a mudança, por isso, ela deve ser treinada e orientada para os novos procedimentos.

A gestão de estoque precisa estar funcionando perfeitamente, para que as conciliações entre o espaço físico e o sistema de gestão estejam de acordo e não aconteça problemas de falta de algum produto ou excesso de outro.

É preciso também formar parcerias concretas com os fornecedores para não correr o risco de ficar sem matéria-prima.

É importante lembrar que para implementar o Just in Time na indústria é preciso conhecer e usar o Kanban, ferramenta de apoio para todo o sistema, que vai otimizar todos os processos de movimentação das operações de produção.

Principais vantagens

O método Just in Time objetiva produzir somente o essencial, quando necessário, com qualidade e sem desperdícios nos processos.

As principais vantagens estão na agilidade dos processos de produção e na redução de custos durante a cadeia produtiva.

Outras vantagens são:

  • Utilizar melhor seus espaços físicos sem a preocupação de grandes estoques;
  • Otimizar os processos com a redução de agendamentos e rastreamentos de mercadorias;
  • Ter menos desperdícios;
  • Aumentar a produtividade;
  • Ter mais qualidade na produção;
  • Reduzir custos e, consequentemente, gerar estabilidade no fluxo de caixa

Para usar desses benefícios é preciso que a indústria esteja devidamente em conformidade com seus fornecedores, para que eles possam fornecer a quantidade necessária na hora que ela precisar.

Principais desvantagens

Uma desvantagem em usar o Just in Time é que, na maioria das vezes, ele funciona de maneira harmoniosa quando a indústria tem poucos fornecedores.

É importante lembrar que essa metodologia tem como objetivo não estocar grandes quantidades de materiais, por isso, a indústria precisa sempre trabalhar com previsões concretas para garantir as necessidades da empresa.

O ideal também é trabalhar com fornecedores pontuais que garantam a entrega na hora da necessidade.

Para não cair em alguns erros, é importante que a indústria use da automação dos processos logísticos para aplicar com eficiência o Just in Time e a Compex pode ajudar nesse sentido.

Agora que você conhece a metodologia Just in Time, que tal se inscrever no nosso blog para receber mais artigos exclusivos?

Compex Tecnologia

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *