0

Mobilidade: Por que as empresas devem investir nela em 2018

A mobilidade tecnológica é um dos pilares da transformação digital pela qual as empresas de todos os portes e em todos os segmentos de atuação estão passando atualmente.

Ela diz respeito à capacidade que os profissionais têm de levar equipamentos e aplicações onde quer que vão. Com mobilidade, as quatro paredes dos escritórios e os galpões das indústrias, por exemplo, não são mais limites.

Aliando dispositivos, sensores, internet e outros tipos de tecnologia digital, gestores e profissionais de todas as camadas hierárquicas podem produzir mais e melhor, atender melhor os clientes, reduzir custos, entre outras inúmeras vantagens.

Sobre isso vamos refletir ao longo deste artigo.

Continue lendo para entender porque todas as empresas deveriam investir em mobilidade em 2018!

A mobilidade vai mover os negócios em 2018

Recentemente, a Gartner, empresa global de pesquisas em tecnologia, previu que até 2020 cerca de 20,4 bilhões de dispositivos estarão conectados à web em todo o mundo — em 2015, a previsão era de apenas 8 bilhões de objetos.

Esse fenômeno é chamado de Internet das Coisas (IoT), ou seja, os objetos mais corriqueiros passam agora a ter “vida”, pois são conectados à internet por meio de aplicativos, sensores e outras combinações tecnológicas que ampliam suas funcionalidades.

E a Internet das Coisas é uma das facetas da mobilidade tecnológica que passou a se configurar a partir da computação em nuvem.

No ambiente corporativo, a mobilidade, seja por meio da IoT, seja pela facilidade de conectar infraestrutura e aplicações de TI com serviços de provedores de nuvem, vem definindo os rumos do mercado.

O ano de 2018, especialmente no Brasil, é crucial neste movimento. A maioria dos países subdesenvolvidos está recém vendo a luz no fim do túnel depois de uma longa crise econômica. Logo, tecnologias digitais (muitas delas móveis) passarão a ser empregadas com mais força nas empresas neste ano.

Para se ter uma ideia, de acordo com a consultoria IDC, uma em cada nove empresas da América Latina deverá empreender uma estratégia de transformação digital – e o Brasil detém 45% do mercado regional de tecnologia.

Em suma, para lidar com um mercado que volta a se reaquecer e se mostra ainda mais competitivo, as empresas deverão tornar mais móveis seus processos produtivos, de vendas etc. E sairão mais vitoriosas aquelas que lidarem com a mobilidade de uma forma mais inovadora.

Coletores de dados: um exemplo de mobilidade ao alcance das empresas modernas

Tomemos como exemplo a utilização de coletores de dados nos mais variados processos empresariais — em setores como varejo, atacado distribuidor, farmacêutico, industrial etc.

Ao incorporar esse equipamentos que, como o próprio nome sugere, são úteis para a captura, a transmissão e o armazenamento de informações, as empresas podem tornar suas operações mais produtivas e inteligentes.

Conectados a sistemas de gestão, os coletores de dados dão a mobilidade para que os profissionais das áreas de estoque e armazenamento, recebimento, entrega, vendas etc. possam trabalhar de onde estiverem, sem depender de anotar dados e levá-los até escritórios para consolidá-los e processá-los posteriormente.

No âmbito da mobilidade, os coletores de dados são dispositivos que podem representar redução de erros e retrabalhos, elevar a produtividade, reduzir custos, enfim, tornar o dia a dia operacional mais móvel, prático e inteligente.

Como sua empresa tem lidado com a questão da mobilidade? Você gostou da reflexão que trouxemos neste texto? Deixe seu comentário!

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *