4

Como precificar os produtos em pequenos supermercados

Muitos proprietários de pequenos supermercados têm dúvida de como precificar os produtos. Afinal, é preciso equilibrar entre a lucratividade e a atração dos consumidores, e a concorrência entre as microempresas é sempre acirrada.

Neste artigo, reunimos algumas dicas práticas que vão ajudar muito na precificação das mercadorias. Continue lendo para entender!

“Como precificar os produtos” não é pergunta fácil de responder

Para início de conversa, é preciso ter em mente que aqui vamos nos debruçar sobre um método de precificação. Há inúmeras variáveis que devem ser consideradas para que a precificação seja correta, daí a dificuldade de encontrarmos uma resposta exata.

De qualquer maneira, é importante pontuar que não tem como precificar os produtos sem considerar que a precificação é sempre uma tarefa estratégica para os negócios.

À medida que a variedade de itens aumenta, como é o caso dos supermercados, a precificação se torna um desafio ainda maior. Afinal, neste tipo de empreendimento lidamos com um público variado e também com uma concorrência ampla.

5 dicas de como precificar os produtos em pequenos supermercados

Dito isso, vamos agora a alguns fatores que devem ser considerados na hora de pensar como precificar os produtos:

1. Saiba qual é o custo exato do produto

Ter total controle de quanto cada item custou para ser adquirido é fundamental.

Isso parece óbvio e fácil, no entanto, não podemos desconsiderar que há toda uma complexidade na legislação brasileira e também diversos custos indiretos, o que faz da precificação algo menos trivial do que se imagina.

Portanto, é preciso apurar tudo que é gasto com cada item adquirido. Mais que isso: o supermercado deve ter registros desses custos e atualizá-lo sempre que houverem modificações relativas, por exemplo, à tributação.

  • Considere os valores relativos aos tributos:

Icms e Substituição Tributária, sempre levando em conta o fornecedor (em alguns casos, é possível aproveitar parte ou todo o Imposto de Entrada;

Fornecedores de fora do estado costumam ter regime tributário diferenciado/especial (Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real);

  • Verifique se há incidência de Pis e Cofins nos produtos.

2. Preste atenção nos custos indiretos

Para não desconsiderar os custos indiretos, calcule quanto cada despesa representa reflete no custo total dos itens vendidos. As principais são:

  • Despesa geral: administrativas, incluindo a folha de pagamento;

  • Custo diferenciado por categoria: itens de baixo giro ou que exijam refrigeração, normalmente custam mais, pois requerem armazenagem especial, energia elétrica e equipamentos diferenciados;

  • Quebra: há produtos que avariam com mais frequência, portanto, têm um custo maior.

3. Considere os preços da concorrência

Não é incomum que alguns empreendedores do setor supermercadista percebam que se praticarem os preços de seus concorrentes ficarão sem margem de lucro.

Mas considerar os preços da concorrência é fundamental na hora de se posicionar estrategicamente no mercado. Você quer que seu supermercado seja lembrado por ser barato ou quer que o cliente veja valor na qualidade?

Se a ideia for ser um supermercado “barateiro”, tenha em mente que você terá de economizar com fatores como estacionamento, equipe, conforto ao cliente etc.

4. Acompanhe a movimentação do mercado

Não importa se o foco do supermercado for ter o menor preço ou se o investimento maior está no valor da experiência proporcionada o cliente. A realização de promoções é fundamental para movimentar e renovar o público consumidor de tempos em tempos. É uma questão de “fôlego” empresarial.

Para isso, é importante acompanhar a movimentação do mercado em alguns fatores:

  • Cesta básica: acompanhar sistematicamente a média de valores dos produtos que compõem a cesta básica, pois é ela que atrai grande parte dos consumidores;

  • Pesquisa: é importante monitorar os preços da concorrência, especialmente no que diz respeito aos itens nos quais você quer se diferenciar;

  • Produtos referência: ter na ponta do lápis os valores dos itens que são mais importantes para a clientela (que sempre serão lembrados);

5. Faça gestão de preços por categoria

Outra forma de precificar os produtos de maneira estratégica é fazer a gestão de preços por categoria. Ou seja, distribuir as margens de lucro em conjuntos específicos de produtos, perdendo em uns e recuperando em outros.

Para isso, como já pontuamos, é importante considerar os custos por produtos, mas também considerar a saída dos itens e o comportamento dos consumidores. Optar por fazer a distribuição das margens em mercadorias que são vendidas em conjunto, por exemplo, é uma boa escolha.

O que você achou das nossas dicas de como precificar os produtos em supermercados pequenos? Deixe seu comentário!

Compex Tecnologia

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

4 Comments

    • Olá Antonio,
      Perfeitamente, havia um erro no texto, já efetuamos a correção.
      Muito obrigado pelo contato e continue acompanhando nosso blog.
      Abraços,
      Compex Tecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *