0

Como o sistema operacional influencia a performance do coletor de dados

Para pensarmos a influência que o sistema operacional tem sobre a performance de um coletor de dados, precisamos começar entendendo o que é isso e também refletir sobre a qualidade dos dispositivos.

E é justamente isso que vamos fazer neste artigo. Continue lendo para entender por que é importante prestar atenção nesse quesito na hora de escolher um coletor de dados!

O que é um Sistema Operacional?

O Glossário de TI da Gartner, mais respeitada empresa de pesquisas em TI do mundo, define um sistema operacional (SO) como “um software que, depois de ser carregado no computador por um programa de inicialização inicial, gerencia os recursos de um computador, controlando o fluxo de informações de e para um processador principal; executam tarefas complexas, como gerenciamento de memória, controle de exibições e outros dispositivos periféricos de entrada/saída, gerenciamento de rede e de arquivos e outras funções de alocação de recursos entre o software e os componentes do sistema”.

Na prática, estamos falando do “cérebro” que gerencia todos os outras aplicações que dão “vida” a um dispositivo. Os aplicativos fazem uso do sistema operacional realizando solicitações de serviços por meio de uma interface de programa de aplicativo (API) definida. Além disso, os usuários podem interagir diretamente com o SO por meio de uma interface do usuário, como uma linha de comando ou uma interface gráfica do usuário (GUI).

Como o sistema operacional influencia a performance de um hardware?

Tudo o que o usuário faz no hardware é o resultado, em grande parte, do SO. O hardware fornece a potência bruta e a funcionalidade que permitem que a aplicação funcione (ou as aplicações funcionem) e o sistema operacional controla a maior parte dessa atividade.

Para que isso aconteça, um ou mais drives precisam garantir essa comunicação entre a parte física e o software. Os drivers “ensinam” o SO a interagir com cada bit do hardware. Placas gráficas, placas de som, placas de rede, periféricos USB e tudo o mais, portanto, dependem de drivers.

Outro ponto importante é que o SO funciona com sticks de memória RAM para controlar a quantidade de memória usada por cada aplicação, incluindo o próprio sistema operacional.

Por fim, o SO também se comunica com a unidade central de processamento do dispositivo e, assim, determina que tudo aconteça dentro da ordem programada. Essa comunicação se dá até no nível de garantir que o aparelho não superaqueça, por exemplo.

Como  o sistema operacional influencia a performance de um coletor de dados?

Dentro disso, e considerando que um coletor de dados é um hardware, a influência do sistema operacional em sua performance é fundamental. Quanto melhor o SO, mais rápido é o processamento das informações (captura, armazenamento, transmissão, memória etc.).

O contrário também é verdade: um SO lento faz com que o processamento dos dados também seja mais demorado. Assim, se o sistema operacional é lento, ou de pouca qualidade, os usuários terão muito mais trabalhos para operá-lo, o que pode influenciar negativamente na sua produtividade — e desencadear uma série de problemas que podem chegar até à redução da lucratividade do negócio, uma vez que os processos da operação são prejudicados.

Qual é o melhor sistema operacional para coletor de dados?

É consenso entre os especialistas que o sistema operacional Android é o melhor para coletores de dados. E tem explicação para isso!

O suporte para o SO 6.5 do Windows (Embedded Handheld — WEH 6.5), será interrompido até 2020. Ainda não está muito claro como se dará sua substituição. O que já se sabe é que as próximas versões, WEH 8.1 e Windows 10, não vão ser compatíveis com os dispositivos portáteis nos quais rodam hoje.

Logo, na comparação com seu principal concorrente o sistema operacional Android possui muitos predicados. Os mais destacados são:

  • fácil de usar: a interface do usuário é praticamente a mesma encontrada nos smartphones, o que permite que os profissionais aprendam rapidamente a operacionalizá-lo;

  • simples para a criar apps: utilizando APIs públicas, os desenvolvedores podem customizar e até criar aplicações novas nos coletores; isso amplia as possibilidades de utilização;

  • fácil integração com sistemas de gestão: é consideravelmente simples integrar o coletor de dados que roda com Android ao ERP e ao WMS de uma empresa de distribuição e transporte, por exemplo;

  • custo mais acessível: comparando com outros modelos, um coletor de dados Android é muito mais barato (aquisição, atualização e manutenção).

Que tal, você entendeu a influência que o sistema operacional têm sobre a performance de um coletor de dados? Quer ajuda para escolher seu dispositivo? Confira a série de opções em coletor de dados Android disponível aqui na Compex — como o AUTOID Q7!

Compex Tecnologia

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *