0

3 inimigos do controle de estoque em lojas

 

Os responsáveis pela reposição de mercadorias nas lojas são fundamentais para o sucesso das vendas, uma vez que não as deixam faltar nas gôndolas e mantém as prateleiras atraentes.

Normalmente, os sistemas de gestão avisam a área de logística quando determinado produto está com o seu nível de abastecimento abaixo do normal e precisa de reposição.

No entanto, nem sempre essas informações batem. Isso ocorre quando a quantidade de produtos em exposição não é a mesma que a apontada pelo controle de estoque do sistema.

“O que pode ter acontecido?” É a primeira pergunta que vem a mente.

Nesse post vamos apresentar 3 inimigos do controle de estoque que são os responsáveis pelas diferenças encontradas entre as informações do sistema e o que realmente existe fisicamente. Continue lendo e confira!

 

A importância do sistema de controle de estoque

O sistema de controle de estoque é um programa que colabora na manutenção, atualizando e informando aos responsáveis a quantidade de produtos que está disponível na loja, bem como no depósito.

Através desse sistema, o reabastecimento é mais tranquilo e simples, uma vez que, quando as mercadorias caem para o nível de estoque mínimo, a área de compras e logística poderá observar nos relatórios de controle que existe a necessidade de reposição.

No entanto, na grande maioria das empresas, os números apresentados no controle de estoque do sistema, não batem com os que efetivamente estão disponíveis.

Isso ocorre em função da falta de qualidade na alimentação dos dados durante as tarefas de movimentação de mercadorias (entrada, estoque e saída).

 

A qualidade da informação

Para que um sistema possa oferecer informações de qualidade, é necessário que todos os processos sejam registrados de forma completa e correta.

Isso porque o sistema processa os dados que são informados durante as operações logísticas.

Caso as atualizações não estejam sendo realizadas, o sistema, consequentemente, trará dados incorretos.

Vale lembrar que a apuração do estoque, para a maioria das empresas, além de trazer inúmeros benefícios, é obrigação fiscal.

Em regra geral, são 3 os inimigos do controle de estoque:

 

1 – Entrada de mercadorias

A área de recebimento tem a obrigação de verificar se as quantidades físicas estão de acordo com as informadas na nota fiscal nos recebimentos.

Se houver incompatibilidade de informações, a decisão pelo recebimento ou não deverá vir do responsável pela área, com as devidas medidas para a correção do problema.

Ocorre que, muitas vezes, recebe-se os produtos sem as devidas correções e a informação lançada no sistema parte dos dados da nota fiscal que está incorreta.

Para que a empresa possa trabalhar de forma organizada, onde as informações do sistema estejam sempre corretas, é necessário que o processo de conferência ocorra no momento do recebimento da mercadoria.

O ideal é que a contagem seja realizada com um coletor de dados, que pode verificar se as quantidades batem com o pedido que originou aquela remessa.

A atualização do sistema deve ser feita a partir dos dados do coletor, que tem o número correto de produtos que entraram no depósito, e não através de digitação ou importação da nota fiscal.

 

2 – Mercadorias perdidas no depósito

Outro problema bastante comum nos estoques, ocorre quando, por descuido ou falta de organização, determinada mercadoria que deveria estar no corredor x e prateleira y foi colocada em outro local.

Além do cuidado na estocagem, que deve ser controlada pelo sistema de gestão, mostrando o endereço de cada produto, é fundamental que sejam realizados inventários para que se possa identificar esse tipo de problema.

A utilização de um coletor de dados e a leitura do código de barras da embalagem, identificam na hora se o produto está estocado no local correto, a partir da localização do problema toma-se as devidas providências para a correção do erro.

 

3 – Movimentação de mercadorias sem atualização dos dados

A pressa é a inimiga da perfeição. Esse velho ditado diz verdades especialmente quando se trata de controle de estoques.

Na ansiedade em abastecer a loja, muitas vezes são feitas transferências de mercadorias do depósito, sem que seja realizada a devida transferência no sistema.

Isso ocasiona seríssimos problemas no controle, uma vez que a mercadoria já foi repassada para a venda, mas, no cadastro de estoque do sistema, ainda está no depósito.

Novamente entra em ação os coletores de dados que podem ser utilizados para a leitura do que foi transferido e para a alimentação do sistema de controle.

 

Metodologia e organização

Sem dúvida que existem ainda outros problemas que prejudicam os controles, como, por exemplo, furtos e a utilização de produtos dentro da própria loja.

Mas, podemos afirmar que a imensa maioria dos problemas envolvendo o controle de estoque está relacionada com a falta da informação ou ainda o descuido na qualidade dela.

Criar regras e métodos de movimentação de estoques são fundamentais e asseguram que isso não ocorra. A gerência deve exigir que os controles sejam perfeitos e realizados no momento da ocorrência do evento.

Os sistemas de gestão possuem ferramentas que avisam e sinalizam com antecedência possíveis problemas de abastecimento, bastando que sejam alimentados da maneira correta.

Seguir os procedimentos corretos e utilizar equipamentos de apoio através da automação é a saída para essas situações tão desagradáveis e desgastantes dentro das empresas.

A Compex é uma empresa especializada no fornecimento de soluções na área de automação. Acesse nosso site e confira nossas soluções.

Compex Tecnologia

Compex Tecnologia

São mais de 17 anos de mercado, levando tecnologia a todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *